Mato no Prato: TARO | Goumert da Horta
Mato no Prato

Mato no Prato: TARO

Por 22 de maio de 2020 Sem comentários

Conhecido como inhame no centro-sul do Brasil, onde é mais cultivado. São consumidos apenas os rizomas carnosos, com valor nutricional semelhante ao dos tubérculos da batata inglesa. As cultivares são classificadas em “mansas” e “bravas”, de acordo com o grau de irritabilidade. Assim, deve-se ter cuidado com o consumo dos rizomas crus na forma de sucos, pois podem causar grande irritabilidade, sendo por isso consumido na forma de ensopados e assados. A colheita é realizada quando as folhas começam a amarelar, murcham e secam. Pode permanecer no campo até três meses sem ser colhido, desde que o solo seja bem drenado e no período seco do ano. Deve ser sempre colhido antes das chuvas. Logo após a colheita, fazer a limpeza manual dos rizomas, que consiste no corte da parte aérea e na retirada do excesso de raízes e da túnica (cabelo).
Fonte: EPAMIG – Hortaliças não convencionais